Uso de big bags reduz custos logísticos ocasionados pela alta em 309% nas operações com contêiner




A alta no preço do frete marítimo de contêineres, que atingiu a marca de 309% em setembro de 2021 se comparado ao mesmo período do ano passado, alavancou alternativas de logística para carga solta, utilizando big bags.


O diretor-presidente do Porto Ponta do Felix, Gilberto Birkhan, conta que o uso de big bags é uma solução que viabiliza a importação e exportação pelos portos com custo operacional mais baixo.


“Reduzir custos é um objetivo natural para o aumento da competitividade. Tivemos um crescimento de 12% na movimentação de cargas utilizando big bags desde o início da crise dos contêineres”, afirmou Birkhan, durante apresentação sobre a alternativa, na Expo Dubai 2020. Segundo ele, os contêineres são uma necessidade mundial no momento, devido à escassez que começou na pandemia e atingiu o mercado brasileiro.


De acordo com a empresa especialista em consultoria marítima, a inglesa Drewry Shipping Consultants, o índice de preços segue em alta. Para se ter uma ideia, um contêiner reefer de 40 pés, há cinco anos, tinha valor estimado de frete marítimo de $ 2,327. Em 2021, o contêiner com o mesmo volume e carga, atinge a marca de $ 6,695.


Birkhan explica que a demanda por big bags no Porto Ponta do Félix começou em abril, quando foi realizada uma exportação inédita de alimentos em big bags para a Venezuela. “Os big bags representam uma maneira segura para o transporte em navios, além de ter um custo muito mais vantajoso aos nossos clientes”, destaca diretor-presidente do porto localizado em Antonina (PR).


Benefícios dos big bags – Big Bag é um modelo de embalagem feito por compostos de alta resistência, como o polipropileno e o polietileno, com formato semelhante a uma grande sacola que pode acondicionar até 2.000kg de carga. Tem boa aplicação para produtos à granel ou embalados em sacos, mantendo-os melhor acomodados e protegidos. Quando confeccionado com material impermeável, pode ser armazenado em pátios abertos, empilhado uniformemente e transportado em qualquer modal. Os big bags podem ser reutilizados e dobrados; por isso, também são adequados para o retorno vazio e são sustentáveis.


No processo de logística, o uso de big bags possui custo menor para o exportador ou importador, tendo em vista que os contentores são confeccionados de material resistente e flexível, permitindo o melhor manejo no armazenamento e transporte dos produtos.


“Nossa primeira operação de alimentos em big bags foi em abril deste ano. Desde então, percebemos que os clientes estão atentos para o uso desses materiais, que garante a integridade dos produtos. O Porto Ponta do Félix está preparado para atender os clientes em suas necessidades, incluindo demandas customizadas”, declara o acionista do porto, Valdecio Bombonatto.


Porto Ponta do Félix – Durante a Expo Dubai 2020, evento mundial com participação de comitiva de empresários do governo do Paraná, a diretoria do Porto apresentou a sua nova identidade visual e nova razão social. Antes TPPF – Terminais Portuários da Ponta do Félix, o porto passa a ser o Porto Ponta do Félix. A mudança foi necessária com a expansão da atuação em operações portuárias e armazenagem multipropósito.


A Expo Dubai 2020 deverá receber 25 milhões de visitantes ao longo de seis meses. O Porto Ponta do Félix participa expondo os avanços da área portuária, assim como o aumento significativo de 70% na movimentação de cargas em 2021.


“Este ano atendemos a diversas operações inéditas, tais como importação de malte, exportação de pallets de cana e big bags com alimentos. Destacamos também a agilidade em nossas operações, pois uma gestão eficiente de line up de navios permite atracações ágeis e sem filas”, finaliza Birkhan.


Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

Posts Em Destaque