Turismo: mais empregos e mais viagens marcam início de recuperação econômica do setor




O setor de turismo no Brasil começa a mostrar sinais de recuperação econômica diante do prejuízo causado ao longo de dois anos de pandemia de Covid-19. Só em fevereiro deste ano, o Ministério do Trabalho e Previdência identificou que 150 mil pessoas retornaram ao mercado de trabalho ligado às atividades de turismo, representando 45% dos postos de trabalho gerados no Brasil em todos os setores econômicos.

Os brasileiros também estão viajando mais. De acordo com o Ministério de Turismo, houve uma alta no número de viajantes nas festas dos primeiros meses de 2022, chegando a 6,7 milhões de pessoas passando pelos aeroportos só durante o período de Natal e Réveillon - 55% a mais do que em 2020. Dados da pesquisa da Gente, plataforma do Grupo Globo, indicam que, em outubro de 2020, 38% da população brasileira tinha o objetivo de viajar com a família logo após o período de pandemia. Além disso, 33% mantiveram orçamentos específicos para viagem, mesmo em cenário incerto.

Para as empresas, as melhorias já podem ser percebidas no fechamento de caixa. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), as empresas do setor registraram um faturamento estimado em R$15,3 bilhões, em janeiro de 2022.

Para aumentar a movimentação econômica, a retomada das atividades interrompidas com a pandemia é fundamental para o gerenciamento de danos. Prova disso pode ser vista no dado divulgado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC): com o cancelamento das festas de Carnaval nos últimos dois anos, o setor de serviços deixou de lucrar cerca de R$3 bilhões. Só em 2022, o Distrito Federal e mais 24 capitais brasileiras suspenderam as celebrações de um feriado que movimenta milhões de turistas brasileiros.

Para os profissionais que atuam na área e acompanharam o impacto que a pandemia gerou no turismo de forma global, o cenário otimista indica a recuperação gradual das atividades no país. Segundo a mestre em Turismo e supervisora do curso de Turismo do Centro Europeu, Raquel Pazini, os números mais baixos de casos de Covid-19 e o avanço da vacinação contribuem para maiores buscas por viagens em períodos de férias escolares e feriados.

"As pessoas precisam se organizar e se programar com mais antecedência, pois existe uma demanda maior pelas viagens. A partir disso, os viajantes devem confirmar suas programações, horários e se as visitas demandam agendamento, porque o turismo está bastante aquecido", detalha Raquel.

Otimismo para o setor de hotelaria -- profissionais que atuam com hotéis e serviços de hospedagem também estão respirando mais aliviados. Além de aumentar significativamente o público que procura por estadia, um Projeto de Lei que cria uma linha de crédito para ajudar o setor na pandemia está em tramitação na Câmara dos Deputados. O PL 2931/20 cria um programa que estabelece medidas de apoio financeiro às atividades do setor hoteleiro e de eventos, e é assinado por deputados de diversos Estados.

Necessidade de profissionais no mercado -- Para sobreviverem a este período, os serviços de hotelaria também tiveram que se adaptar às regras sanitárias de cada município. Neste sentido, Pazini destaca o papel dos agentes de viagem que fazem a mediação entre as regras de cada estadia e os turistas que vêm de outras regiões.

"O agente de viagem cuida dos detalhes. Assim, os turistas não têm surpresas desagradáveis e não deixam de atender aos requisitos de segurança do local. O profissional vai auxiliar a pensar nas alternativas para além da hospedagem, ou seja, nas experiências que o turista pode ter no destino", pontua.

Profissionais que buscam recolocação no mercado ou ampliação da qualificação também encontram oportunidades. O curso de Turismo do Centro Europeu capacita as pessoas para a organização profissional de viagens, além de atuar em diversas frentes do setor.

"As maiores oportunidades do mercado hoje são voltadas para o mercado de lazer. Então, o curso de Turismo ensina os alunos a organizar viagens nacionais, internacionais e viagens de férias. A qualificação permite que o profissional faça cotações, reservas de passagens aéreas, locação de carros, reservas e meios de hospedagem. No curso exploramos as vantagens de fazer isso por meio de uma agência de turismo, destacando o quanto ela oferece de solução e suporte, trazendo significado para as viagens", finaliza.

Curso de Turismo do Centro Europeu (Presencial)

Duração: 1 semestre letivo

Dias de aula: Segunda e quarta-feira

Meses de início dos cursos: Março e agosto

Curso de Turismo do Centro Europeu (Online)

Duração: 2 meses

Dias de aula: Terça e quinta-feira

Meses de início dos cursos: Fevereiro, junho e setembro

Inscrições e mais informações clicando aqui.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square