Tá frio? Dicas para aquecer seu cãozinho no inverno




O Brasil é o segundo país com maior número de PETs no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. A paixão que temos com os animaizinhos nos lembra que com a chegada do inverno e a queda nas temperaturas devemos adotar alguns cuidados especiais com cães e gatos.


1 - MANTENHA O PET AGASALHADO - As roupinhas são recomendadas para deixar seu cão ou gato mais quentinho nos dias frios. De acordo com Maurício Penteado, coordenador do curso Mercado PET do Centro Europeu, são necessários alguns cuidados na hora de escolher a roupinha. “Aquelas que possuem muitos enfeites podem causar acidentes. O Pet pode arrancar, ingerir e ter até uma obstrução intestinal. Tenha atenção ao tamanho, pois a roupa não pode limitar os movimentos do PET e deve ter o espaço de 1 dedo entre a pele do animal e o tecido”, orienta.

Lembre-se também de lavar as peças com frequência para evitar o desenvolvimento de micro-organismos.

2 - SEU PET MERECE UMA CAMA QUENTINHA - Aposte nos cobertores mais grossos durante o inverno. “Fique atento também a forma como ele dorme, se tiver encolhido, enrolado no próprio corpo, é sinal que está tentando se aquecer”, afirma Maurício.

3 - ESTIMULE BRINCADEIRAS EM CASA - Os dias mais frios podem deixar o cãozinho mais preguiçoso e se estiver muito gelado o ideal é substituir o passeio por brincadeiras dentro de casa, no ambiente mais quentinho.

4 - AUMENTE O INTERVALO ENTRE AS TOSAS - Os pelos servem para proteger e aquecer o seu PET. “No frio é interessante esperar um pouco a mais para tosar e garantir que seu cão esteja quentinho. Além disso, a secagem após o banho deve ser completa, evitando o frio e o desenvolvimento de micro organismos prejudiciais para a pelagem”, alerta o coordenador do curso.

5 - CONSIDERE A VACINA PARA GRIPE - Assim como em nós, humanos, a gripe é mais frequente no inverno. Se seu amigo costuma frequentar hotéis, creches ou outros locais com mais cães, converse com o seu veterinário sobre a vacina para gripe.


DADOS: Apesar da crise econômica e a pandemia do Coronavírus, o mercado PET é uma área que não parou de crescer. Em 2020 o segmento teve alta de 13,5% na comparação com 2019, segundo o Instituto Pet Brasil.

Nos últimos cinco anos, o setor de acessórios e alimentos para pets cresceu 87%, de acordo com a empresa Euromonitor International, que realiza pesquisas de mercado. Segundo o levantamento, o Brasil - que já é o segundo mercado mundial de alimentos para cães - deve se consolidar como o sexto maior mercado pet do mundo em 2021.

A perspectiva é de 87% de crescimento até 2026.


CURSO NO CENTRO EUROPEU: Acompanhando as demandas do mercado o Centro Europeu oferece o curso Mercado PET, destinado para pessoas que já atuam na área, como por exemplo, banhistas, lojistas, tosadores, cuidadores (pet sitters), passeadores (dog walkers), adestradores, alunos de medicina veterinária, médicos veterinários e outros e também para empreendedores ou futuros empreendedores do mercado pet.

O curso tem 124 horas/aula , está com as matrículas abertas e as aulas iniciam em agosto.

De acordo com Maurício Penteado, o curso é completo e oferece uma série de disciplinas. “Entre elas estão bem estar animal, pesquisa de mercado, legislação e terceiro setor, gestão veterinária, eventos e gastronomia, criadores, pet shops e serviços pets, fábricas e distribuidores, tecnologias e startups”.

Para saber mais, acesse centroeuropeu.com.br

Posts Em Destaque