Sensor noturno diminui risco de quedas em casa de repouso




As quedas de pessoas idosas podem representar um grave risco para a saúde. Dados do IBGE mostram que o Brasil tem mais de 28 milhões de pessoas com idade acima de 60 anos, atingindo 13% da população. De acordo com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), do Ministério da Saúde, 40% dos mais idosos, com 80 anos ou mais, cai todos os anos. Um a cada três idosos com mais de 65 anos tem uma queda e, entre 20 idosos que já caíram, um deles sofre uma fratura ou necessita de internação por complicações na saúde.


Entre os que vivem em casas de repouso e asilos, a frequência de quedas sobe para 50%, o que cria um alerta para as instituições que hospedam esses idosos. O Instituto revela que esse índice se deve a diversas causas, como decorrência de distúrbios de marcha, equilíbrio, confusão mental e vertigem.


TECNOLOGIA E SEGURANÇA – Para diminuir estes riscos e agir de forma preventiva, a casa de repouso Solary Ville, localizada em Curitiba, desenvolveu e instalou um sensor noturno para identificar quando as idosas se movimentam fora do quadrante da cama.


“O sensor capta a movimentação da hóspede, no período da noite, e envia um alerta sonoro para uma central da nossa casa. Este alerta indica que é preciso dar suporte à hóspede ou apenas que a equipe deve ficar atenta”, explica uma das fundadoras da Solary, Roberta Morais.


Segundo ela, o equipamento é instalado próximo à cama das idosas e garante mais tranquilidade no período de sono.


“Estamos trabalhando com prevenção e segurança. Não temos registros de quedas por aqui e também não queremos correr este risco. Nosso público é um grupo de pessoas que estão em uma fase da vida de maior fragilidade e com necessidade de atenção constante. Uma queda pode debilitar muito a saúde de um idoso e até levar à morte, por isso o nosso papel é oferecer um ambiente protegido. Com o sensor, nosso trabalho se torna preciso”, comenta Roberta.


ESTRATÉGIAS DE PREVENÇÃO – Estratégias de redução de fatores de risco são apontadas pelo Instituto de Traumatologia como importantes para reduzir a probabilidades de quedas. Além de promover melhorias na segurança ambiental, são indicados comportamentos seguros e programas de exercícios.


“Em toda a casa de repouso, a estrutura física é pensada para atender pessoas com movimentos limitados ou com risco de lesões. Por isso nós trabalhamos com barras de apoio, ambientes bem iluminados, móveis bem distribuídos e nada de piso escorregadio”, destaca Roberta.


O trabalho de autoconfiança com as hóspedes também é fundamental, considerando uma ação constante para mantê-las ativas e independentes. A rotina voltada para o fortalecimento da mobilidade também contribui, incentivando a participação em atividades como a fisioterapia, aulas de dança que respeitem as limitações de cada uma e apoio psicológico para todo o grupo.


Em 2018, a Projeção da População do IBGE estimou que, nas próximas décadas, o percentual de idosos no Brasil deve dobrar. Com isso, as estratégias para garantir qualidade de vida dessa população já devem ser colocadas em práticas.


Sobre a Solary – Localizada em Curitiba, a Solary Ville é uma Casa de Repouso que atua nas áreas de hospedagem permanente para idosos, mas que também atende em momentos que a família precisa se ausentar como hotelaria.

Posts Em Destaque
Posts Recentes